Ultima atualização 10 de novembro

Warburg Pincus oferece R$ 43,50/ação pelo controle da Alper

A gestora de private equity está oferecendo R$ 43,50 por ação para ficar com 50% mais uma ação do capital da Alper

De acordo com notícia publicada no Brazil Journal, o Warburg Pincus acaba de lançar uma OPA pelo controle da Alper, corretora de seguros que tem crescido com uma estratégia agressiva de M&As. A gestora de private equity está oferecendo R$ 43,50 por ação para ficar com 50% mais uma ação do capital da corretora. O preço embute um prêmio de 19,18% em relação ao fechamento de ontem, de R$ 36,50; e de 32,19% em relação à média dos últimos 30 pregões e 39% em relação à média dos últimos 90 pregões.  A Warburg Pincus enviou hoje cedo uma carta ao conselho da Alper, tentando se antecipar a um potencial vazamento das negociações. Ontem, o papel subiu 6%.  A oferta avalia a Alper em R$ 850 milhões e já sai com a aprovação de 37% dos acionistas da base.  Estão a bordo a FIT Partners, o family office dos ex-banqueiros Tom Freitas Valle e Fernando Prado, que tem 13% do capital; fundos geridos pelo Pátria Investimentos, com 9%; e Cesár Augusto Antunes, o empreendedor que vendeu a Admix para a Aon Brasil em 2017, com 15,4%.  Todos já assinaram cartas de manifestação de venda. 

Outros grandes acionistas são a gestora de private equity Axxon, que tem cerca de 20% do capital e entrou no aumento de capital que a Alper fez em julho do ano passado, e a Brasil Capital, com quase 9%. A oferta avalia a Alper um múltiplo de 15,7x o EBITDA dos últimos doze meses, 17x o lucro estimado para 2024 e 13,5x o de 2025.  Os três acionistas que assinaram a manifestação de venda já se comprometeram também a chamar uma AGE para aprovar a extinção do poison pill da companhia, que obriga qualquer acionista que ultrapassar 30% a fazer uma oferta por 100% da companhia.

Condicionado à realização da OPA, a empresa também deve chamar uma assembleia para aprovar a saída da Alper do Novo Mercado, pavimentando o caminho para o fechamento do capital na Bolsa.  Com a Alper, a Warburg Pincus, que tem uma ampla exposição no setor de seguros globalmente, quer replicar o sucesso que teve em seu investimento na americana Foundation Risk Partners (FRP), vendida no ano passado a outro private equity, o Partners Group. Fundada por ex-executivos da Brown & Brown, a FRP fatura mais de US$ 500 milhões.  O deal de hoje foi facilitado porque a Warburg já tem uma relação próxima com o CEO da Alper, Marcos Couto.

No passado, os dois avaliaram conjuntamente criar uma empresa do zero para consolidar o setor, mas desistiram por conta dos múltiplos altos das empresas do setor na época. A tese da Warburg é que ainda há muito espaço para a consolidação do setor, que ainda é extremamente fragmentado.  Desde que foi fundada em 2010, a Alper já fez mais de 60 M&As, sempre financiando esses movimentos com aumentos de capital, sem se endividar substancialmente. Hoje, ela tem apenas uma dívida de R$ 200 milhões das parcelas das aquisições que fez. As aquisições ajudaram a Alper a diversificar sua receita entre outros tipos de seguros. Em 2018, os chamados benefícios (seguros saúde, vida, odonto e previdência) respondiam por 85% da receita. Hoje, respondem por 50%, com o crescimento dos seguros corporativos, de transportes e do agronegócio. O BTG Pactual e o Trindade Advogados estão assessorando a Warburg Pincus.

Compartilhe no:

Assine nossa newsletter

Você também pode gostar

Feed Apólice

Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

Ads Blocker Detected!!!

We have detected that you are using extensions to block ads. Please support us by disabling these ads blocker.

Powered By
Best Wordpress Adblock Detecting Plugin | CHP Adblock