Ultima atualização 18 de julho

Para atender clientes atingidos por ciclone, mercado de seguros adota ações emergenciais

Devido à devastação ocasionada pelo ciclone extratropical no Sul do Brasil, seguradoras acionaram um plano de contingência para atender os segurados que tiveram seus bens danificados
ciclone
(FOTO: Reproduçao/RBS TV)

EXCLUSIVO – O ciclone extratropical que está atingindo grande parte do Sul desde quarta-feira, 12 de julho, vem deixando rastros por diversas cidades e atrapalhando a vida da população. De acordo com a Defesa Civil do Rio Grande do Sul, mais de 50 municípios registraram danos, como destelhamentos, queda de árvores e inundações. Estradas foram bloqueadas por conta de alagamentos e queda de barreiras. Um homem de 68 anos morreu e, segundo a última atualização feita pelas autoridades, 261 pessoas tinham ficado desabrigadas e 406 desalojadas.

O número de imóveis sem luz chegou a 800 mil. Na área das concessionárias CEEE Equatorial e RGE, o número havia caído para 373 mil clientes na manhã desta sexta, 15 de julho, principalmente nas regiões Metropolitana de Porto Alegre, Serra, Centro e Leste. As equipes das companhias ainda trabalham para restabelecer a energia. A Defesa Civil enviou um caminhão com doações de cestas básicas, produtos de higiene e limpeza para o município de Sede Nova, e também está auxiliando os demais municípios com entregas de lonas.

Em Santa Catarina, ventos atingiram a casa dos 100 km por hora, com quedas de árvores e o desabamento de um galpão na região Oeste, com mais de 80 municípios atingidos, segundo a Defesa Civil do estado. No Paraná, um trem com mais de 900 passageiros ficou paralisado por mais de 10 horas. Em nota, a Serra Verde Express, empresa responsável pela viagem, afirmou que galhos e árvores estavam nos trilhos do trecho, o que impediu a continuidade do passeio.

Devido à devastação ocasionada pelo ciclone, diversas seguradoras acionaram um plano de contingência para atender os segurados que tiveram seus bens atingidos. Na Bradesco Seguros, os estados de RS/SC/PR terão atendimento específico para assuntos relacionados a vendaval, chuva e outros fenômenos naturais extremos. O atendimento para essas regiões será tratado como tratamento calamidade, que é um tratamento mais rápido e em loco.

Carlos Oliva

“Nós estamos promovendo a 38ª Operação Emergencial de Tratamento de Sinistros. Essa mobilização, em caráter especial, é estendida até a normalização do número de sinistros na região atingida. Para manter a qualidade do serviço oferecido aos clientes, mesmo em um período de adversidade, reforçamos o contingente interno para dar suporte ao aumento na demanda, a fim de agilizar o processo de indenização. Além disso, a empresa irá trabalhar com os canais de atendimento já existentes: Central de Atendimento, Portal de Negócios (corretor) e Site do segurado”, afirma Carlos Oliva, superintendente executivo de Operações da companhia.

Segundo o executivo, até a noite de segunda-feira, 17 de julho, a Bradesco Seguros registrou 350 chamados especiais na região Sul. “As consequências das mudanças climáticas necessitam de soluções rápidas. Não se trata de uma questão de futuro, e sim de agora. O mercado já percebeu essa transformação e busca apresentar novos produtos, cada vez mais customizáveis à nova realidade, novos canais de atendimento e, principalmente, propagar a cultura e importância de estar protegido, como forma de mitigar perdas em casos de sinistros”, diz Oliva.

Questionado sobre quais seguros podem cobrir boa parte dos danos, Oliva afirmou que os segurados do produto automóvel têm garantia plena em casos de intempéries, como chuva, vento ou queda de árvore sobre o veículo. Já nos segmentos Residencial, Empresarial e Equipamentos, a cobertura básica inclui proteção contra incêndio, queda de raio e explosão. “No entanto, é possível proteger a residência de outros riscos com coberturas contratas conforme a necessidade de cada cliente, entre eles, desmoronamento, vendaval, furacão, ciclone, chuva de granizo, alagamento e inundação, danos elétricos e outros serviços”.

A MAPFRE também implementou um plano de contingência para viabilizar atendimento prioritário aos segurados da região. Entre as medidas adotadas, está o reforço no número de profissionais da rede de assistência 24 horas, da equipe de atendimento ao cliente e de peritagem de sinistros. A mobilização inclui monitoramento em tempo real dos prestadores e abrange diversos tipos de seguros, como automóveis, residenciais, empresariais, rurais, entre outros. Além disso, a diretoria Territorial da empresa está presente na região para realizar vistorias e agilizar a liberação de indenizações.

Roberto de Antoni

“Nossa prioridade é garantir o bem-estar e a tranquilidade dos segurados, com uma conclusão ágil dos processos e minimizar eventuais perdas. Eventos climáticos de grande escala como tempestades, inundações e ciclones demandam uma ação coordenada. Para isso, mobilizamos profissionais da rede de assistência e uma variedade de recursos que facilitam a comunicação e o atendimento de forma rápida, tanto à rede de corretores parceiros quanto aos segurados neste momento delicado”, afirma o diretor de operações da MAPFRE, Roberto de Antoni.

Nicole Fraga
Revista Apólice

* com informações das assessorias de imprensa

Compartilhe no:

Assine nossa newsletter

Você também pode gostar

Feed Apólice

Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

Ads Blocker Detected!!!

We have detected that you are using extensions to block ads. Please support us by disabling these ads blocker.

Powered By
Best Wordpress Adblock Detecting Plugin | CHP Adblock
pt_BRPortuguês do Brasil