Ultima atualização 20 de abril

Zurich e IG4 negociam parceria para comprar Viracopos

Grupo europeu se reuniu com o BNDES para avaliar as condições de aquisição e agora quer tentar com o governo uma solução de mercado

A suíça Zurich Airport, que detém a concessão dos aeroportos de Florianópolis (SC) e de Confins (MG), negocia uma parceria com a gestora brasileira de investimentos IG4 Capital – dona da antiga CAB Ambiental, de saneamento – para comprar o Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). O grupo europeu já se reuniu com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para avaliar as condições de aquisição e agora quer tentar com o governo uma solução de mercado.

O objetivo é comprar a participação das duas acionistas, Triunfo Participações e Investimentos (TPI) e UTC, envolvidas na Operação Lava Jato. A estratégia do grupo europeu é ampliar a presença no mercado brasileiro e Viracopos seria uma boa opção de negócio, especialmente considerando o potencial de transporte de cargas.

A compra do aeroporto, no entanto, depende de uma série de pendências. Uma delas é a publicação de um decreto do governo federal para relicitar o terminal. Mas a medida está sendo analisada há mais de oito meses, sem sucesso. Em julho de 2017, os acionistas do Viracopos decidiram devolver a concessão, argumentando que havia desequilíbrio no contrato. Na época, a concessionária justificou que o volume de passageiros estava 52% abaixo do projetado e o transporte de cargas, 40% menor que as expectativas.

Isso teria dificultado o cumprimento das pesadas obrigações com a União, como o pagamento de outorga. No mês passado, a concessionária entrou com um mandato de segurança no Superior Tribunal de Justiça (STJ), que intimou a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e o governo para explicarem a demora na decisão.

A gestora brasileira tinha proposta para assumir o controle do aeroporto, representando os interesses dos bancos, e trazendo US$ 100 milhões para quitar a outorga em atraso. Zurich e IG4 não se pronunciaram.

Seguro

Além do decreto, outro problema que tem tirado o sono da concessionária é o seguro do terminal. A seguradora Swiss Re não quer renovar a apólice do aeroporto. Sem isso, o governo não deve autorizar um aporte que os acionistas (incluindo a Infraero) terão de fazer na empresa de R$ 150 milhões para pagar a outorga em maio. A concessionária Aeroportos Brasil afirmou que a “renovação com a seguradora está em trâmite e Viracopos espera ter sucesso na renovação”. A Swiss Re não quis comentar o assunto.

Fonte: Estadão

L.S.
Revista Apólice

Compartilhe no:

Assine nossa newsletter

Você também pode gostar

Feed Apólice

Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

Ads Blocker Detected!!!

We have detected that you are using extensions to block ads. Please support us by disabling these ads blocker.