Ultima atualização 31 de julho

Seguro garante tranquilidade para escolas e estudantes

As escolas são responsáveis por tudo que aconteça com os alunos dentro de suas dependências. Os pais são responsáveis por garantir a educação dos filhos. Para ambos, há seguro!

Apesar do ambiente seguro que a maior parte das escolas particulares oferece, acidentes sempre são passíveis de acon­tecer. Além disso, ainda existe o risco de perda de renda do responsável financeiro pelo estudante ou algum erro ou omissão do estabelecimento de ensino. Para todas estas possibilidades, existe o seguro con­tratado pelas instituições de ensino para garantir a tranquilidade dos pais durante os ciclos pedagógicos.

As escolas estão mudando sua ma­neira de enxergar os alunos. Hoje elas se preocupam com a sua saúde e o seu bem-estar. Elas têm consciência de que são parceiras dos pais na criação dos filhos e, por isso, sua responsabilidade está ampliada. Elas estão muito preo­cupadas com a segurança das crianças e a maioria delas conta com sistema de circuito interno de TV, seguranças na porta para receber os alunos e produtos de seguro.

Há algumas linhas de produtos que são mais comumente contratadas por estes estabelecimentos. O seguro de vida para os funcionários é de contratação obrigatória e está garantido na conven­ção coletiva dos trabalhadores deste tipo de serviço.

Na modalidade de acidentes pes­soais, o seguro pode garantir qualquer acidente que os alunos venham a sofrer dentro ou fora do local.

De acordo com Paulo Sonagere, diretor comercial da KlimaCorretora de Seguros,a proteção vai além do ambiente escolar e cobre qualquer tipo de evento, em qualquer local. “Normalmente é feita uma con­tratação e cobertura de R$ 10 mil a R$ 15 mil por evento, o que é suficiente para prestar os primeiros socorros em local determinado pelos pais do alu­no”, informa.

Segundo Sonagere, as escolas de altíssimo nível não contratam este se­guro porque preferem bancar o risco. Já as escolas em nível médio contratam como forma de mostrar aos seus clientes (pais) sua preocupação com os alunos e a garantia de que o estudante será atendido em qualquer emergência. “É um seguro para qualquer acidente, den­tro ou fora da escola, e cobre despesas médicas, hospitalares e odontológicas”, explica. “Levamos ao hospital que o pai escolher. Se a seguradora tiver convênio com o hospital, a escola não precisará desembolsar nenhum valor, sendo ne­cessário apenas comunicar ao 0800 da seguradora”, complementa.

Neste produto há uma série de coberturas acessórias, como o serviço de assistência para a criança que não pode frequentar as aulas, transporte, professor particular etc.

Este é um produto muito bem aceito pelas escolas. A Klima tem 1,3 mil es­colas seguradas em vida e 260 com AP Escolar, pois ela atende aos associados do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo. Neste universo há escolas pequenas e médias, da educação infantil até universidades.

Para saber se a escola possui este tipo de seguro os pais devem conversar com a direção.

Renata Ferraz, diretora comercial da MetLife, explica que o prêmio médio do produto de AP Escolar é de R$1,50 a R$ 3 por aluno. “Percebemos que hoje as escolas têm uma preocupação social maior”. Essa carteira teve crescimento de 25% dentro da seguradora em 2012 e as perspectivas continuam positivas para 2013. A maior procura é de escolas de ensino fundamental.

Contra inadimplência

O seguro educacional pode ser um excelente investimento para as institui­ções de ensino garantirem o sossego dos responsáveis financeiros pelos alunos em caso de perda de renda temporária. Ele cobre eventos como morte ou perda de emprego, com garantia de pagamento de três a cinco mensalidades para a escola. De acordo com dados da Fenaprevi, no acumulado no mês de abril de 2013, este produto sofreu retração em relação ao mesmo período de 2012. Foram arreca­dados R$ 1,8 milhão em 2103, frente a R$ 2,1 milhões no mesmo período do ano anterior, com retração de 10,86%.

Este produto é contratado pela escola e não pode ter seu custo repassado para o aluno, em sua modalidade compulsória. O custo por aluno não chega a R$ 5, pois a escola contrata para todos os seus alunos. Em sua modalidade facultativa, quando é transferido o custo para o responsável financeiro, ele sobe para cerca de R$15 aR$ 20, pois fica a critério de cada aluno a contratação.

Ocorretor de seguros reiteraque as escolas devem enxergar este produto como um investimento. Ele afirma que boa parte delas poderia utilizar o seguro como forma de diferenciação entre os concorrentes: “se o pai fica na dúvida entre duas escolas com perfil pedagógi­co semelhante, certamente irá optar por aquela que se preocupa com o estudante”.

Sergio Wagner Barbosa, diretor de negócios da área de Riscos de Pessoas da Mapfre, conta que esta modalidade evoluiu muito como proteção enquanto o aluno estiverem idade escolar. Otem­po de contratação varia de acordo com o período educacional oferecido pela instituição, a partir de seis meses. “A sinistralidade é baixa, não chegando a 2% de frequência”, avalia.

Ele explica que no ensino fundamen­tal a frequência é um pouco maior, mas os valores envolvidos são baixos. “No ensino fundamental há grande preocupação com a integridade física do aluno. Nos períodos mais avançados, a preocupação maior é com a possibilidade de perda de renda do responsável”.

Confira a reportagem completa na edição de julho (176).

Kelly Lubiato / Revista Apólice

Compartilhe no:

Assine nossa newsletter

Você também pode gostar

Feed Apólice

Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

Ads Blocker Detected!!!

We have detected that you are using extensions to block ads. Please support us by disabling these ads blocker.

Powered By
Best Wordpress Adblock Detecting Plugin | CHP Adblock
pt_BRPortuguês do Brasil