Ultima atualização 18 de novembro

Seguro de vida: você sabe para que ele serve?

Segundo dados da Susep, a receita do segmento cresceu 11,7% no acumulado de janeiro a setembro quando comparado ao mesmo período de 2019

Em um ano em que tanto falamos de saúde, finanças e futuro, os seguros de vida passaram a ser cada vez mais procurados. Segundo dados da Susep (Superintendência de Seguros Privados), a receita do segmento de seguros de vida cresceu 11,7% no acumulado de janeiro a setembro quando comparado ao mesmo período de 2019.

Outro seguro muito procurado foi o prestamista, um produto que dá tranquilidade ao segurado e aos beneficiários indicados de ter uma dívida quitada em caso de imprevistos, como invalidez, desemprego involuntário ou mesmo morte. A receita cresceu 3,6% no acumulado do ano comparado a 2019.

A Susep não divulga o total de contratos ou segurados e, por isso mesmo, o crescimento do setor é acompanhado pela evolução da receita. O próprio órgão define seguros como sendo “um contrato mediante o qual uma pessoa denominada segurador, se obriga, mediante o recebimento de um prêmio, a indenizar outra pessoa, denominada segurado, do prejuízo resultante de riscos futuros, previstos no contrato”.

O mercado anda aquecido, mas os termos ainda confundem e mais ainda: você saberia dizer para que serve e quando contratar um seguro de vida? Por isso, separei abaixo as dúvidas mais comuns sobre o produto.

Seguro de vida é um investimento?

O seguro de vida não é um investimento no sentido clássico. O órgão que acompanha o mercado é a Susep e não a CVM. No entanto, ele é um passo importante no planejamento financeiro no sentido de que ele protege o segurado e seu patrimônio de imprevistos. Além disso, o seguro de vida pode ainda garantir a manutenção do padrão de vida. Caso tenha uma internação, por exemplo, há coberturas que garantem o pagamento de uma indenização pelo período, o que faz com que você não consuma suas reservas.

Seguro de vida só é usado em morte?

Não, pelo contrário. Hoje em dia há seguros com diversas coberturas em vida, como doenças graves, invalidez ou mesmo perda de renda.

Como é calculado um seguro de vida? O que é análise de risco?

Cada caso é um caso e, por isso mesmo, é importante conversar com um especialista para entender as necessidades e situações das quais a pessoa quer se proteger. Em geral, o cálculo considera as situações das coberturas e o risco delas acontecerem de acordo com o seu perfil. É feita uma análise de risco para se chegar a um valor de cobertura e do prêmio (a quantia mensal que você paga para ter direito ao seguro).

O que é um seguro de vida resgatável e como ele funciona?

É um tipo de seguro de vida que oferece a opção de resgatar a reserva acumulada em uma data futura. Ou seja, a pessoa pode usar o dinheiro ainda em vida, depois de certo tempo, caso não tenha tido os imprevistos listados na apólice e, por consequência, não tenha recebido a indenização prevista na cobertura.

Seguro de vida entra em herança?

O benefício não entra em inventário e, por isso, mesmo é usado por algumas pessoas como uma maneira de transmitir parte da herança sem que os herdeiros tenham de pagar imposto sobre o dinheiro.

O seguro de vida é dedutível do Imposto de Renda?

Não, é um produto simples em termos tributários. Você não precisa declarar o seguro de vida no Imposto de renda, pois não terá dedução. Em contrapartida, a indenização do seguro, quando paga, também não é tributada.

* Fonte: UOL

Compartilhe no:

Assine nossa newsletter

Você também pode gostar

Feed Apólice

Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

Ads Blocker Detected!!!

We have detected that you are using extensions to block ads. Please support us by disabling these ads blocker.

Powered By
100% Free SEO Tools - Tool Kits PRO