Ultima atualização 28 de março

Tecnologias mudam rumo do mercado segurador

Big data, para percepção e compartilhamento de carteiras, segurança cibernética, para proteção de dados e Inteligência Artificial, para comunicação, estão entre elas

Big data, segurança cibernética, blockchain e inteligência artificial estão entre as principais tendências tecnológicas que têm motivado seguradoras e resseguradoras de todo o mundo a investirem em insurtechs. O relatório Infosys Digital, da consultoria Infosys, apontou que o big data, para percepção e compartilhamento de carteiras; a segurança cibernética, para proteção e conformidade de dados, e a Inteligência Artificial (IA), para subscrição e automação, são as tecnologias que devem gerar maior impacto no setor nos próximos três anos.

As seguradoras e resseguradoras também recorrem à Internet das Coisas para ampliar os horizontes da ciência atuarial, medindo e mitigando riscos e fraudes por meio da utilização de sensores automotivos, rastreadores de fitness vestíveis e outros dispositivos telemáticos.

O combate às fraudes e o gerenciamento de riscos de conformidade também contarão, cada vez mais, com o apoio da Inteligência Artificial que, por meio de algorítimos, consegue identificar padrões de dados em solicitações de seguro.

Já a tecnologia Blockchain, que já está em uso em alguns contratos inteligentes entre seguradoras e segurados, poderá vir a se tornar a maneira padrão de registrar contratos de seguro. Algumas seguradoras internacionais têm se unido em consórcios para pesquisas nessa área. A Blockchain Insurance Industry Initiative (B3i) é um desses consórcios, desenvolvendo um protótipo de blockchain exclusivo para os mercados segurador e ressegurador, encontrando-se atualmente em fase de testes, devendo entrar em funcionamento em 2019.

O uso aprimorado de Big Data também está permitindo que as seguradoras aprimorem os perfis de seus clientes, além de contribuir para a proteção desses dados.

Embora a maioria dos entrevistados tenha citado investimento em segurança cibernética e gamification, menos de 20% dos executivos do setor de seguros acreditam que estão preparados para um ataque cibernético.

O relatório afirma que “com o rápido crescimento do mercado de seguro cibernético, que deve chegar a 14 bilhões até 2022, as seguradoras precisam aperfeiçoar rapidamente seus modelos de avaliação de risco e precificação nesta nova área para aproveitar as oportunidades”.

Fonte: CNseg

M.S.
Revista Apólice

Compartilhe no:

Assine nossa newsletter

Você também pode gostar

Feed Apólice

Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

Ads Blocker Detected!!!

We have detected that you are using extensions to block ads. Please support us by disabling these ads blocker.