Ultima atualização 25 de maio

Consumidor europeu considera alto o preço do seguro de vida

Segundo relatório da Swiss Re, percepção é consequência da crise financeira e produtos devem tornar-se mais atraentes, mais acessíveis e mais fáceis de entender

Há uma enorme lacuna entre os seguros de vida privados oferecidos aos consumidores europeus e a demanda atual. A principal razão para a penetração insuficiente do seguro de vida no mercado é o preço, considerado caro pelos consumidores. Estes produtos devem tornar-se mais atraentes, mais acessíveis e mais fáceis de entender.

A indústria deve procurar desenvolver produtos para preencher as lacunas, levando em consideração este fator, já que a atual situação econômica europeia indica maior sensibilidade dos consumidores em relação aos preços. As seguradoras precisam trabalhar em conjunto com o Estado para educar os consumidores e destacar formas alternativas para preencher a lacuna entre o que o Estado oferece e as necessidades dos consumidores.

Essas conclusões constam no European Insurance Report 2012, levantamento divulgado nesta quarta-feira, 19 de agosto, pela Swiss Re, destacando potenciais lacunas entre as ofertas da indústria de seguros de produtos e a demanda de consumo atual. O relatório foi baseado em uma pesquisa realizada pela Swiss Re com 15 mil consumidores em 14 países europeus.

De acordo com a análise, há uma lacuna de proteção de mortalidade no valor de 10 bilhões de euros em somas asseguradas, nos 14 países europeus pesquisados. A lacuna é a diferença entre o dinheiro necessário para dependentes em caso de morte prematura de um chefe de família e os recursos financeiros postos à disposição caso o inesperado ocorra.

A crise financeira e os programas de poupança relacionados tiveram um sério impacto na confiança do público nas pensões estatais e benefícios, e os consumidores têm tomado consciência da necessidade de previdência privada. Mesmo assim, eles estão relutantes em comprar seguros.

A boa notícia é que apesar de ser considerado um produto de custo elevado, nos países da Zona do Euro, onde o seguro de vida é um produto relativamente bem conhecido, os consumidores estão dispostos a pagar entre 22 e 30 euros por mês para uma cobertura no valor de 100 mil euros.

A pesquisa ainda apontou dois pontos importantes sobre a complexidade dos produtos. A formulação de termos de seguros, as condições e detalhes do produto, além do atual processo de aplicação devem ser levados em conta pelas seguradoras. Produtos simples e transparentes e um processo de compra suave são essenciais para o sucesso na distribuição.

A internet foi apontada como a fonte mais confiável para a busca de informações, além de uma boa fonte para aquisição de coberturas. Segundo o levantamento, a maioria dos consumidores sente-se muito ou bastante confortável na aquisição de coberturas através de sites de comparação na internet. A aquisição de produtos via canais de vendas tradicionais, como consultores independentes e equipe de vendas de seguros aparece em segundo lugar.

“Precisamos educar os consumidores sobre a importância do seguro de vida e nos certificar de que eles sabem em que ponto as mudanças no bem-estar do sistema podem afetar suas próprias circunstâncias. Isto irá assegurar que eles tenham a informação necessária para buscar soluções complementares”, analisa Bruce Hodkinson, Head da Swiss Re para negócios de vida e saúde para a Europa Continental.

“Esta é uma oportunidade para a nossa indústria aumentar a visibilidade com o público em geral e para provar nosso potencial”, finaliza.

 

Jamille Niero

Revista Apólice

Compartilhe no:

Assine nossa newsletter

Você também pode gostar

Feed Apólice

Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

Ads Blocker Detected!!!

We have detected that you are using extensions to block ads. Please support us by disabling these ads blocker.

Powered By
Best Wordpress Adblock Detecting Plugin | CHP Adblock