Ultima atualização 05 de junho

No Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de junho), é preciso maior atenção ao lixo automotivo

*Por Kleber Carreira

O crescimento da frota de automóveis no País, que tem apresentado uma evolução média de nove mil emplacamentos por dia, no período de janeiro a março de 2012, pode ser atribuído à ascensão dos brasileiros à classe média e também aos incentivos tributários oferecidos pelo governo ao setor automotivo. Fato é que a frota nacional tem aumentado susbstancialmente e, em consequência, tem aumentado também o volume de sucatas de veículos depositadas na natureza, compreendendo vidros, plásticos, metais de difícil degradação e outros.

Isso tem causado seriíssimos problemas à natureza, uma vez que no caso do vidro automotivo, o tempo de degradação do material é indeterminado. Além do mais, é necessário uma tecnologia especial para a separação do vidro e do Polivinil Butiral (PVB), plástico que compõe a película protetora do para-brisa. Sem políticas efetivas para promover o correto descarte deste material, a situação pode se agravar, e muito, nos próximos anos.

O Brasil hoje recicla apenas 4% de um total de 5 mil toneladas de vidros automotivos descartados mensalmente no meio ambiente. O Instituto Autoglass contribui com essa prática, realizando, há quatro anos, a reciclagem de todo o resíduo proveniente dos para-brisas danificados que são substituídos nas lojas da Autoglass. Por meio de logística reversa, o material é recolhido e recebe o tratamento adequado para que possa ser empregado na produção de garrafas, lã de vidro e jateamento.

No cenário global, a contribuição do País para minimizar o impacto ambiental do vidro automotivo ainda é muito tímida, visto que nos EUA e em países da Europa, mais de 50% do vidro danificado tem como destino o reaproveitamento. Apenas o estado do Espírito Santo possui regulamentação sobre o assunto, por meio da Lei nº 9.013 de 2008. Porém, a nossa luta é para que a prática se estenda a todo o território nacional o mais breve possível.

Neste sentido, o Instituto Autoglass, que teve participação ativa na aprovação da lei capixaba, também encaminhou ao Congresso Nacional a sua contribuição sobre tema, o que originou o Projeto de Lei nº 8.005/2010. A matéria está em tramitação na Câmara Federal aguardando deliberação da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CMADS).

Com a proximidade do Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 5 de junho, sugerimos uma profunda reflexão sobre o impacto de todo o volume de sucata automotiva despejado na natureza, principalmente neste momento em que o Brasil se prepara para a realização da Conferência das Nações Unidas  sobre Desenvolvimento Sustentável, a chamada Rio + 20, que acontecerá no período de 13 a 22 de junho, onde autoridades e especialistas de renome, nacionais e internacionais, estarão em nosso País para discutir o tema e buscar soluções para o planeta.

Independentemente das decisões da Conferência, é fundamental que todos os cidadãos e empresas exerçam o papel de vigilantes do meio ambiente, atentando para a importância da reciclagem, do consumo consciente e da preservação dos recursos naturais,a fim de garantir o equilíbrio da natureza e uma boa qualidade de vida para esta e para as gerações futuras.

*Kleber Carreira é presidente do Instituto Autoglass, voltado à educação socioambiental, reciclagem do vidro automotivo e análise e estudos do setor.

 

 

Compartilhe no:

Assine nossa newsletter

Você também pode gostar

Feed Apólice