Ultima atualização 28 de setembro

Entidades sem fins lucrativos procuram por seguro D&O

Não são só os executivos de empresas privadas que estão contratando apólices de D&O para se protegerem de processos decorrentes por erros de gestão. O produto começa a ganhar terreno também entre as entidades sem fins lucrativos. A Liberty International Underwrites (LIU), empresa do Grupo Liberty Seguros, que se dedica a riscos especiais, emitiu nos últimos meses mais de 20 apólices para ONGs e empresas ligadas ao Terceiro Setor, a maioria voltada a projetos culturais que levam apoio governamental. As apólices destinam-se a proteger conselheiros e gestores destas entidades. “O Código Tributário, o Código de Defesa do Consumidor e o novo Código Civil apontam para a responsabilização de executivos por seus atos de gestão e isso não se limita às empresas privadas. No caso das entidades sem fins lucrativos, a possibilidade de o conselheiro vir a responder com seu patrimônio pessoal no caso de condenação é o mais comum”, explica Renato Rodrigues, diretor de D&O da LIU, divisão de grandes riscos da Liberty Seguros no Brasil.

Coberturas

A nova modalidade de D&O cobre, entre outros, os danos e a defesa decorrentes de questionamentos trabalhistas, reclamações por quebra de contratos com fornecedores, concorrência desleal, falha na administração, diversificação excessiva ou deficiente e acusação de sonegação de informações a mantenedores e ao governo.

J.N.
Revista Apólice

Compartilhe no:

Assine nossa newsletter

Você também pode gostar

Feed Apólice